quinta-feira, 5 de maio de 2011

Miriam Leitão comenta: Entrada da Vale no consórcio Belo Monte não é bom negócio

A entrada da Vale em Belo Monte não é um bom negócio. Há vários pontos de polêmica. Não há garantia de que seja um empreendimento economicamente viável. Só para lembrar: a empresa entrou no lugar da Bertin, que não tinha experiência na área de energia, era um frigorífico que tinha recebido muito dinheiro do BNDES, mas não deu certo.

O consórcio foi montado dentro do Palácio do Planalto, como todo mundo sabe. Havia outro, no qual até a Vale estava, mas o governo queria que houvesse competição. Com a saída da Bertin, ficou sem uma perna, e o governo precisava que entrasse um autoprodutor, uma empresa que também usasse energia para consumo próprio, porque resulta numa diminuição do seu custo tributário.
Para o governo, é ótimo que a Vale entre, mas o empreendimento é cercado por muitas incertezas. Belo Monte tem um poder de geração de 11 mil MW de energia, mas vai produzir em média 4 mil e, em alguns momentos, pode ser 2 mil ou menos. E o governo está dando subsídio enorme para a construção da usina.
A entrada da Vale em Belo Monte é uma decisão política, e não econômica.
Ouçam aqui o comentário na CBN

Fonte: miriamleitao.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar!