sábado, 23 de abril de 2011

Iates de Bill Gates ficam retidos em Manaus

O fundador da Microsoft, Bill Gates, foi forçado a interromper suas férias na Amazônia após a Polícia Federal identificar irregularidades no visto de alguns dos integrantes do grupo que o acompanhava, de acordo com informações da AFP.

O grupo que acompanhava Gates, formado por sete pessoas, foi detido na última sexta-feira enquanto fazia um passeio no rio Negro, perto de Manaus. No momento em que o grupo foi detido, Gates não estava presente. Os membros do grupo se identificaram como funcionários da Microsoft e pediram para a PF entrar em contato com a embaixada americana.
De acordo com a PF, o Grupo tinha o visto simples de turista, e não o "Visto Temporário II", que permite esse tipo de passeio. O grupo ainda não teria documentos de identificação e a embarcação onde estavam não estaria autorizada a navegar em águas brasileiras. O grupo foi liberado depois de quase 12 horas de detenção, com a condição de deixar o país em 3 dias.
O grupo deixou o país às 2h da manhã de ontem, 19 de abril. Segundo a Polícia Federal, mesmo deixando o país, os integrantes do grupo devem responder a processo administrativo por infringir a lei 6.815/80.
Bill Gates já tinha passado férias no Amazonas por duas vezes, em 2007 e 2009.
UPDATE: Segundo informações do superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado Sérgio Fontes, em entrevista ao jornal A Crítica, Bill Gates não chegou a sair do país, pois não havia nenhum problema na documentação do "pai do Windows". Os membros do grupo que acompanhava Gates, e que possuíam irregularidades nos documentos, saíram do país e solucionaram o problema, retornando na sequência ao Brasil.
ERRATA: Do ponto de vista de um ato administrativo de uma nação, o termo correto para o que ocorreu com membros do grupo que viajava com Bill Gates é deportação, que é a obrigação de uma pessoa se retirar de um país, porém com a possibilidade de retornar caso a situação que causou a irregularidade seja normalizada. Nos casos de expulsão, a pessoa está livre para deixar o território, porém não poderá mais retornar.

Fonte: adrenaline.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar!